conversa entre amigas

cada um tem um jeito de descansar
cada um tem jeito de dormir
cada um tem um jeito de sonhar 
o que não tem jeito
é deixar de viver
o que nao tem jeito
é não saber ajeita

Anúncios

anunciação e encontro

adeus,
marielli
miriely
mary ellen

adeus,
quantas ainda
apagadas em excesso
em exceção

adeus,
marielle
miraela
mira-celi

adeus,
brancas pombas :
quantas ainda
disparam
na escuridão

no more tears

I

é o verão da desesperança

jornais estouram sacos de maldades
aqui acolá balões pipocas
compra-se a água que bebe
ar inóspito na china

ficar em cima do muro

mais um brinde :
não há justiça

utopias
são surtos entre estados em guerra

o heroi descobre em exílio

 

II

não levei flores
quando te levaram

senti o perfume
em cada pétala
colei uma sílaba

deixei as flores como estavam

ficou mais leve
carregar o vazio
nos  braços

 

III

condenada pelo sol
a ficar sob o  jugo

prefere a sombra
sombras, não trevas

guarda no bolso
a sombrinha de papel

arrependimento?
o sol no labirinto cega

perder-se é achar
a chave da alegria

 

IV

prefere farrapos
à alternativa correta
xadrezinho na estampa
cerejas na xícara
medo de barata universal

o  anjo de uma asa só
antes só
agora é sol

V

flores, nem morta
só as que não se cheiram

no jardim quioto
é pau é pedra

 

VI

não abra a porta
se tudo que quer
é morder os lábios
não abra a porta
se o que deseja
é estufar o estômago
esta voz arroto
olhos grandes demais
orelhas caem
não abra a porta
se tudo que  quer
é calar a boca
de menina
de mulher
tua história
é conto de fada

 

VII

sejam feias
as palavras

bonita
é mulher que luta

ergue o rosto
ao catar papel

ocupa ruas e canta
a  chama é o fogo da revolução

VIII

Pra que servem as lágrimas?
Não apagam o incêndio
Bombas jogadas todos os dias
Não há como subir
Em.ombros de gigantes
O coração queima
Um rio em lágrimas
Não é o bastante
Quantos cantos
Vamos perder ?
Se é o fogo purificador
Avancemos
Corações ardentes
Sobre a baía em lágrimas

BICICLETAS CAIÇARAS NA ARTBICIMOB

 

A exposição “Bicicletas Caiçaras” está  aberta na Bicicletaria Cultural (Rua Presidente Faria, 226), até o dia 06 de outubro, dentro da programação do 10o. Artbicimob. A exposição, com 20 poemas de Marilia Kubota e 30 fotos de Lauro Borges, tem como tema bicicletas e ciclistas da cidade de Paranaguá. Há um ano, a exposição foi apresentada na Casa de Cultura Monsenhor Celso, em Paranaguá, como produto de projeto aprovado no edital de incentivo cultural da cidade. 

BicicletasCaiçarasimagem01

Porque hoje é sábado e amanhã é domingo

Por que as sacolas cheias. Por que copos entornam. Por que rosários entre dedos. Por que a dieta começa segunda. Por que se torra ao sol. Por que água demais nos vasos. Por que nome de gente em cachorro, gato, canário e tartaruga. Por que a camisinha estoura. Por que a cantada é brega. Por que se lavam carros e quintais. Por que a tecla é mais vagarosa que o gênio. Por que a corda se ata.

Porque hoje é sábado e amanhã é domingo.